Neonatal Conjuntivite: Diagnóstico e Tratamento

Conjuntivite-Neonatal
Conjuntivite-Neonatal

Neonatal Conjuntivite: Diagnóstico e Tratamento. A conjuntivite é uma condição comum em recém-nascidos, podendo ser causada por diferentes agentes infecciosos. É essencial que seja feito um diagnóstico preciso e que o tratamento adequado seja iniciado o mais rápido possível para evitar complicações e garantir a saúde ocular do bebê. Neste artigo, abordaremos o diagnóstico e tratamento da conjuntivite neonatal, com foco nas terapias tópica, sistêmica e combinada.

Diagnóstico da Conjuntivite Neonatal

O diagnóstico da conjuntivite neonatal é baseado na avaliação clínica dos sinais e sintomas apresentados pelo recém-nascido. Além disso, é importante considerar o histórico da mãe, especialmente no caso de infecção gonocócica materna conhecida. Também é possível realizar exames complementares, como a identificação de diplococos intracelulares gram-negativos no exsudato conjuntival.

Terapia Antimicrobiana Tópica

A terapia antimicrobiana tópica é indicada para casos de conjuntivite neonatal causada por outras bactérias que não a gonococo ou clamídia. Nesses casos, o uso de pomadas contendo polimixina mais bacitracina, eritromicina ou tetraciclina tem se mostrado eficaz no tratamento da infecção.

Terapia Antimicrobiana Sistêmica

A terapia antimicrobiana sistêmica é recomendada para casos de conjuntivite neonatal causada por clamídia ou gonococo. No caso da oftalmia gonocócica, é importante hospitalizar o recém-nascido para avaliação de possível infecção sistêmica. Nesses casos, a ceftriaxona é o tratamento de escolha, sendo administrada em dose única por via intramuscular ou intravenosa. Para recém-nascidos com hiperbilirrubinemia ou que não podem receber ceftriaxona, a cefotaxima pode ser uma alternativa.

Terapia Combinada

Em alguns casos, a terapia combinada pode ser necessária para o tratamento da conjuntivite neonatal. Isso ocorre especialmente nos casos de infecção por clamídia, em que é importante tratar também a infecção nasofaríngea e prevenir a ocorrência de pneumonia. Nesses casos, o uso de eritromicina ou azitromicina por via oral é recomendado, juntamente com a irrigação frequente do globo ocular com soro fisiológico.

Acompanhamento e Monitoramento

Após o início do tratamento da conjuntivite neonatal, é importante acompanhar e monitorar o recém-nascido quanto aos sinais e sintomas de possíveis complicações. No caso do uso de eritromicina, é fundamental estar atento ao desenvolvimento da estenose hipertrófica do piloro, uma possível complicação associada ao uso desse medicamento em neonatos.

Ceratoconjuntivite Herpética

A ceratoconjuntivite herpética é uma forma específica de conjuntivite neonatal causada pelo vírus do herpes simples. Nesses casos, é fundamental o acompanhamento por um oftalmologista e o tratamento adequado com aciclovir por via sistêmica, juntamente com o uso de gotas ou pomadas oftálmicas específicas.

Prevenção

Algumas medidas preventivas podem ser adotadas para reduzir o risco de conjuntivite neonatal. É importante realizar a profilaxia ocular com colírios de nitrato de prata ou eritromicina logo após o nascimento, especialmente em casos de infecção gonocócica materna conhecida. Além disso, a higiene adequada das mãos e a adoção de medidas de precaução durante o parto também são importantes para prevenir a transmissão de agentes infecciosos para o recém-nascido.

Conclusão

A conjuntivite neonatal é uma condição que requer diagnóstico e tratamento adequados para garantir a saúde ocular do recém-nascido. A terapia antimicrobiana tópica, sistêmica ou combinada, dependendo da causa da infecção, é fundamental para controlar a inflamação e erradicar os agentes infecciosos. O acompanhamento e monitoramento adequados também são essenciais para identificar possíveis complicações e garantir o melhor resultado para o bebê. Com medidas preventivas adequadas, é possível reduzir o risco de conjuntivite neonatal e promover a saúde ocular desde os primeiros dias de vida.
As informações fornecidas aqui não substituem o conselho médico. Se você suspeitar ou tiver algum incomodo nos seus olhos, é importante sempre consultar um oftalmologista para avaliar sua saúde ocular e realizar os exames necessários para manter sua visão em perfeito estado.

Informação Adicional: A saúde ocular é fundamental para a qualidade de vida das pessoas. Realize consultas regulares com profissionais especializados para prevenir e tratar problemas visuais. Sempre consulte um médico oftalmologista em caso de sintomas ou dúvidas sobre sua visão.

 

Leia Também:

 

FonteConselho Brasileiro de Oftalmologia

 

Postagens