TRATAMENTO DE ORTOCERATOLOGIA

TRATAMENTO DE ORTOCERATOLOGIA – Correr, jogar bola, pular. As inúmeras atividades das crianças em idade escolar sempre foram um problema para aquelas que são dependentes de óculos.  Os pais se preocupam com possíveis acidentes e elas são motivo de chacota por parte dos colegas. Os óculos acabam limitando as crianças, que ficam excluídas das brincadeiras. Sem poder submeter os filhos às cirurgias refrativas (de correção de grau) por conta da idade, os pais estão buscando um tratamento revolucionário que corrige miopia e astigmatismo durante o sono, é a Ortoceratologia.

A técnica, que pode ser aplicada em crianças a partir dos 12 anos de idade, consiste na utilização de dispositivos óticos, semelhantes a lentes de contato, que atuam sobre a córnea durante a noite, moldando-a de forma a eliminar temporariamente os distúrbios visuais. Aprovada pelo Food and Drug Administration (FDA), a agência federal dos EUA regulamentadora dos medicamentos, a nova terapia vem sendo utilizada pelos mais modernos centros oftalmológicos de São Paulo, Belo Horizonte e Brasília há cerca de um ano e tem alcançado excelentes resultados em crianças e esportistas dependentes de óculos ou lentes.

A Ortoceratologia é a solução para pacientes cuja cirurgia tenha sido contra-indicada. Isso inclui crianças, pessoas com grau crescente ou com córnea de pouca espessura”, explica o oftalmologista Leonardo Alan Rocha, responsável pelo setor de Ortoceratologia do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB).

O tratamento é indicado para pacientes com miopia moderada e baixa de até 4,5 graus, associada ou não a astigmatismo de até 1,5 grau. Os dispositivos ópticos exercem, durante o sono, uma pressão negativa sobre a córnea, aplainando sua área central. O efeito do tratamento é reversível e é obtido progressivamente.  Pacientes que utilizam a Ortoceratologia podem ficar até 60 horas enxergando normalmente, sem a necessidade de óculos ou de lentes de contato.

A Ortoceratologia foi descoberta na década de 60 nos Estados Unidos, mas o tratamento não apresentou os resultados esperados. Os estudos tomaram novo impulso na década de 90 com a utilização de alta tecnologia de origem australiana associada ao uso de modernos equipamentos para avaliação e acompanhamento dos resultados. “Com o avanço da tecnologia, o aperfeiçoamento dos dispositivos e dos equipamentos necessários ao acompanhamento, a Ortoceratologia alcançou os níveis de confiabilidade e sucesso desejáveis”, afirma o médico Leonardo.

A Ortoceratologia é contra-indicada para pacientes que sofreram cirurgias refrativas e ficaram com grau residual e para portadores de ceratocones ou outra doenças da córnea. O oftalmologista também adverte para a necessidade do acompanhamento de todo tratamento e da qualidade dos dispositivos ópticos. “É preciso estar certo da qualidade do material que está sendo utilizado”, conclui.

 

Confira as lentes que trabalhamos:

Fonte: Ministério da Saúde