LENTE ESCLERAL: O QUE É E COMO PODE AJUDAR QUEM POSSUI CERATOCONE?

LENTE ESCLERAL: O QUE É E COMO PODE AJUDAR QUEM POSSUI CERATOCONE? – Doenças oftalmológicas podem causar preocupação, desconforto e baixa qualidade de vida a pessoas de qualquer faixa de idade ou sexo. Embora as mais conhecidas e prevalentes sejam condições como a Hipermetropia, Miopia e o Astigmatismo, uma importante patologia é o Ceratocone, quadro que afeta cerca de uma a cada 20.000 pessoas e é a principal causa de transplante de córnea no Brasil. A doença ocorre devido a uma modificação do formato usual da córnea e gera várias distorções e incômodos visuais.

O tratamento do Ceratocone pode envolver diversas medidas — de colírios especializados a cirurgias corretivas — e muitas delas fazem uso de lentes especiais, que visam atenuar a deformação da córnea e restabelecer a visão normal. Entre os muitos modelos de lentes, a recente lente escleral tem o potencial de proporcionar maior conforto e acuidade visual aos portadores de Ceratocone, podendo ter sucesso onde outras terapias falharam. Por isso, fizemos este post sobre as lentes esclerais e suas vantagens no tratamento do Ceratocone. Confira!

Uma abordagem diferente – LENTE ESCLERAL: O QUE É E COMO PODE AJUDAR QUEM POSSUI CERATOCONE?

A lente escleral, diferentemente das lentes de contato RGP (lentes rígidas gás permeáveis – as mais utilizadas para o Ceratocone), tem maior diâmetro e se ancora na esclera (a parte branca dos olhos) em vez da córnea. Esta abordagem diferenciada permite um maior conforto e adaptabilidade à lente, aumentando a chance de adesão ao tratamento.

Esta tecnologia já existia previamente, mas as lentes esclerais antigas causavam hipóxia (baixa oxigenação) na esclera e não eram suportadas por seus usuários. Entretanto, os novos materiais de alta permeabilidade ao oxigênio permitem a confecção de lentes seguras e confortáveis, que fazem parte hoje do rol de possibilidades terapêuticas para o Ceratocone, trazendo maior acuidade visual até para casos mais graves. É importante ressaltar que muitos casos graves, em que antes era indicado o transplante de córnea para melhorar a acuidade visual do portador de ceratocone, agora há a possibilidade da melhora do quadro apenas com a lente escleral, sem a necessidade da cirurgia e, consequentemente, de suas possíveis complicações.

A lente escleral pode ser a solução para casos avançados – LENTE ESCLERAL: O QUE É E COMO PODE AJUDAR QUEM POSSUI CERATOCONE?

Pessoas com quadros avançados do Ceratocone dificilmente encontram alívio para sua condição em lentes de contato usuais e comumente são passíveis de tratamentos mais invasivos — como o Crosslinking e o transplante de córnea. Esses procedimentos implicam, necessariamente, um maior risco e custos ao paciente.

A lente escleral pode ser uma opção efetiva para casos graves da doença, já que sua modelação especial visa corrigir até as deformações mais importantes da córnea — casos estes que não têm resultados positivos com o uso de lentes convencionais, evitando dessa forma procedimentos mais invasivos e arriscados.

Dicas de adaptação e utilização

Usuários da lente escleral relatam maior conforto e adaptação a este tratamento, em comparação ao tratamento feito com as lentes rígidas convencionais. Entretanto, algumas medidas e sinais devem chamar a atenção de quem utiliza este tipo de lente:

  • Nas primeiras horas de uso, deve-se verificar se a esclera está avermelhada ou com a marca da borda da lente, pois isso pode indicar um desenho ineficaz do dispositivo;
  • Ao longo do uso, caso a visão fique embaçada ou menos clara, a possibilidade de que a lente esteja causando hipóxia da córnea deve ser avaliada por um especialista;
  • A higiene e colocação das lentes segue os mesmos procedimentos de outros modelos; entretanto, o usuário deve ter atenção especial ao posicionamento correto da lente escleral, devido ao seu maior tamanho.

Fonte: Ministério da Saúde

Você também poderá está procurando por:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *